fbpx

Decisões Pedagógicas Baseadas Em Dados — Indicadores Educacionais E Decisões Estratégicas

Autor: Nenhum comentário Compartilhar:
Indicadores Educacionais

Segundo a definição do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), os indicadores educacionais “atribuem valor estatístico à qualidade do ensino, atendo-se não somente ao desempenho dos alunos, mas, também, ao contexto econômico e social em que as escolas estão inseridas”.

Quer entender mais sobre o assunto? Confira no artigo algumas formas de tomar decisões baseado em dados.

Neste artigo, você verá:

  • o que seria um indicador educacional?;
  • quais são os indicadores da educação no Brasil?;
  • o que é diagnóstico de indicadores educacionais quantitativos e qualitativos?;
  • como melhorar os indicadores educacionais?

O que é um indicador educacional?

Um indicador educacional é um dado que tem como objetivo mensurar o resultado de  uma política educacional ou mesmo de uma  prática pedagógica , servindo de base para condução de ações futuras. Ou seja, é uma informação que indica se alguma atividade relacionada à educação  está gerando bons resultados  ou se será preciso alguma ação  para corrigi-la. 

Os indicadores educacionais também podem estar presentes nas salas de aulas, mensurando a aprendizagem dos alunos. O baixo desempenho de um aluno em provas de determinada disciplina em relação a uma escala ou às expectativas de aprendizagens para sua série indica a necessidade de uma ação específica com esse aluno, no sentido de garantir sua aprendizagem. 

Quais são os indicadores oficiais da educação no Brasil?

Os indicadores educacionais no Brasil se dividem em seis, segundo o INEP. São eles:

  • 1 — o contexto sociodemográfico: a região em que se encontram as instituições;
  • 2 — as condições de oferta: a infraestrutura das instituições de ensino;
  • 3 — o acesso e a participação na educação: as oportunidades de acesso à educação formal e o número de estudantes da instituição;
  • 4 — a eficiência e o rendimento escolar: se os alunos estão desenvolvendo as competências e habilidades esperadas no plano escolar;
  • 5 — o desempenho escolar: as notas obtidas pelos estudantes nas avaliações escolares;
  • 6 — o financiamento e o gasto em educação: o investimento destinado à educação feito pela secretaria escolar responsável por aquela instituição. 

Com a análise desses indicadores, o Ministério da Educação (MEC) busca  criar políticas públicas, com o intuito de melhorar a qualidade da educação e, também, dos serviços oferecidos pelas escolas à sociedade. 

Além da ação do MEC, que atua em âmbito nacional, , as escolas que desejam alavancar sua qualidade pedagógica, e consequentemente a aprendizagem dos alunos, devem se basear  em dados  que ofereçam indicadores  concretos para construir e aprimorar sua proposta pedagógica,. 

Para isso , é preciso realizar uma análise do impacto do indicador educacional que se quer trabalhar na qualidade total do ensino. Assim, é possível entender os pontos que devem ser aprimorados e planejar estratégias específicas para cada indicador. 

Diagnóstico  de indicadores educacionais quantitativos e qualitativos

Para que seja possível chegar a um diagnóstico mais completo, e que reflita a qualidade educacional de uma instituição, é preciso analisar também os dados qualitativos (que, diferente dos quantitativos, não são objetivos, são descrições e contextualizações).

Tais dados podem ser coletados e avaliados, por exemplo, por meio de pesquisas estruturadas de opiniões dos discentes e docentes da instituição, identificando  as percepções sobre possíveis problemas enfrentados no dia a dia da escola, bem como coletando informações a respeito das condições de estudo e aprendizagem dos alunos fora do ambiente escolar. 

Dessa forma, o diagnóstico seria uma composição  dos indicadores obtidos a partir dos dados quantitativos contextualizados  as informações fornecidas pelas pessoas que fazem parte da instituição, por meio de suas próprias percepções levantadas pelos indicadores qualitativos. 

Exemplos de indicadores quantitativos e qualitativos:

  • indicadores quantitativos na educação: número de alunos acima da média bimestral estabelecida, média da escola por área do conhecimento em relação a matrizes normativas como BNCC e Enem,  número de docentes com mestrado e doutorado e média de alunos por turma;
  • indicadores qualitativos na educação: opinião sobre clima organizacional por parte dos docentes , satisfação da qualidade de ensino por parte dos discentes e suas famílias,  e desafios de ensino em cada etapa escolar na visão dos próprios alunos.

Quais são os principais indicadores educacionais gerados por simulados?

É importante ressaltar que não existem metodologias específicas que garantirão excelentes resultados nos indicadores educacionais.

Em termos de aprendizagem dos alunos, o que pode ser posto em prática por parte dos gestores e do corpo docente é o acompanhamento contínuo do desempenho dos seus alunos,. Isso, inclusive, é possível por meio da aplicação de simulados para coletar dados de desempenho escolar, permitindo a obtenção dos principais indicadores educacionais relacionados à aprendizagem.

Com os dados em mãos, é possível elaborar planos pedagógicos bem embasados que respondam às necessidades de melhoria de aprendizagem dos alunos. Alguns  desses indicadores que podem ser construídos  mediante as provas de simulados são:

  • pontuação TRI comparável à escalas oficiais:  os simulados que usam metodologias de correção como a TRI (teoria de resposta ao item) permitem mensurar os resultados dos alunos  com comparabilidade com avaliações oficiais como Enem e Saeb ;
  • análise estatística de alternativas: apresenta uma distribuição estatística (percentual) das escolhas dos alunos para cada alternativa em todas as questões do simulado; 
  • pontos fortes e a melhorar: pode-se fazer uma compilação específica por área de quais foram as disciplinas e temas em que os alunos tiveram maior êxito e também maior dificuldade.

A partir desses dados, é possível elaborar ações que visam auxiliar os alunos com suas principais dúvidas, além de identificar quais são os estudantes com maior dificuldade, fornecendo acompanhamento individual e monitoramento de desempenho. 

É uma oportunidade também da instituição rever se o planejamento e os processos pedagógicos adotados  estão apresentando atingindo os resultados esperados  ou se podem receber alguma melhoria. 

Como melhorar os indicadores educacionais?

A melhoria dos indicadores educacionais de aprendizagem é resultado do aumento do desempenho escolar dos alunos. Isso é  possível colocando  em prática algumas ações como:

Adoção do  método científico  nos processos pedagógicos

A metodologia científica está presente no meio acadêmico, no exercício das ciências exatas e, também, é ensinada aos alunos para que eles mesmos entendam sua dinâmica. No entanto, é de grande valor empregá-la em processos pedagógicos para tornar o aprendizado dos alunos mais eficiente. 

A criação de um método científico consiste no teste de hipóteses, colocando-as em prática e, depois, concluindo se são eficazes ou não. 

Trazendo para o ambiente escolar, utilizemos o exemplo fictício de uma turma com baixo rendimento na disciplina de biologia. De forma sintetizada, é possível analisar e colocar em prática algumas ações, como:

  • observação: uma turma do segundo ano está apresentando desempenho abaixo do esperado nas aulas de biologia pelo segundo trimestre consecutivo;
  • hipótese: a metodologia aplicada nas aulas precisa ser reformulada. A elaboração de dinâmicas práticas pode auxiliar os alunos;
  • confirmação ou rejeição: a inserção de mais dinâmicas práticas nas aulas resultou em uma melhora significativa no trimestre seguinte ou, então, o desempenho se manteve o mesmo ou até piorou;
  • reformulação da hipótese: quando o desempenho se mantém igual ou piora, significa que a hipótese não se confirmou , necessitando de modificações. Assim, ocorre a criação de uma nova hipótese: pode ser que estejam faltando mais exercícios para estudo autônomo em casa. Feito isso, o processo se repete até chegar na confirmação da hipótese.

Revisão constante das metodologias pedagógicas adotadas

Assim como na metodologia científica, nenhuma metodologia pedagógica é permanente. É preciso revisá-la para identificar se está sendo eficiente ou não.

Quando uma hipótese, que antes foi validada, passa a não funcionar mais, é hora de aplicar novamente toda a metodologia científica de observação e validação. 

Experimentação de novas práticas pedagógicas

Para validar algo, é preciso colocá-lo em prática! 

A equipe de docentes que estiver atualizada com diferentes abordagens pedagógicas pode apresentar mais facilidade na validação e formulação de hipóteses.

As revistas educacionais, fóruns de discussão e webinars pedagógicos podem ser de grande valia para enriquecer o repertório de referências e conhecimento de inovações em educação. 

Colocando em prática algumas dessas sugestões apresentadas, será possível identificar quais são os pontos relativos a estratégias e práticas pedagógicas podem ser melhorados, e validar quais ações surtiram efeitos significativos na melhoria da aprendizagem dos alunos, uma vez que tais efeitos foram mensurados. . 

Agora que você já sabe como estruturar decisões estratégicas pedagógicas a partir de dados dos indicadores educacionais, entenda outras formas de melhorar o desempenho dos alunos como um gestor escolar

Post Anterior

Nota Do Enem: Saiba Como Estimar e Como Usar

Próximo Post

Gestor Escolar — Como Melhorar O Desempenho Dos Alunos?

Você pode gostar também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *