Como fazer uma prova avaliativa?

Autor: Nenhum Comentário Compartilhar:

Em outra postagem, falamos sobre a diferença entre dois tipos de provas: as que buscam julgar e as que se prestam a avaliar. Podemos assumir que a prova do tipo julgamento é conhecida da imensa maioria dos educadores. Mas o que é necessário para aplicar um tipo diferente de prova?

Uma boa avaliação começa com a definição de um propósito

Em primeiro lugar, uma prova do tipo avaliação precisa partir de um objetivo claro e pré-definido. Ela começa a ser elaborada antes de a primeira aula ser dada. Isso porque, em uma prova criada para avaliar, é importante saber claramente o que ela pretende descobrir. Por exemplo, suponha que o objetivo de uma aula de interpretação de textos seja fazer com que os estudantes entendam como identificar ironia na escrita. Haveria um processo parecido com o que está abaixo:

  1. planejamento do propósito (mostrar como identificar ironia em textos);
  2. atividades: aula, palestra, debate, exemplos;
  3. elaboração de prova com questões que identifiquem se a habilidade foi adquirida ou não;
  4. aplicação e correção da prova;
  5. identificação dos resultados (“o conceito ficou claro para a maioria”; “tal aspecto ainda está confuso…”);
  6. nova rodada de atividades: aula, palestra, debate, exemplos (com ênfase nos aspectos que ficaram menos claros).

Assista à palestra “Na sua escola, os processos avaliativos são uma commodity ou um diferencial”, do professor Cícero Gomes!

A avaliação é parte do processo, não sua finalidade

Note que a aplicação da avaliação ocorre durante o processo e que se trata de uma consequência natural de um propósito bem definido. Após corrigir as provas, o educador vai saber se os estudantes adquiriram a habilidade pretendida e, caso a resposta seja negativa, deve ter em mãos informações importantes sobre os próximos passos a tomar para garantir que isso aconteça. É claro que nem todos os alunos terão um resultado excelente, mas, com uma avaliação bem construída, o professor pode identificar com muito mais clareza os passos que podem ser dados para se aproximar dessa meta.

Em breve, discutiremos com mais profundidade um assunto mais específico: como elaborar questões eficazes para uma avaliação. Até logo!

Post Anterior

Dados Enem 2016 por escola

Próximo Post

A professora virou diretora. E agora?!

Você pode gostar também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *