fbpx

Quais São Os Tipos De Avaliação e Como Utilizá-los?

Autor: Nenhum comentário Compartilhar:
Quais São Os Tipos De Avaliação e Como Utilizá-los

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) determina que a avaliação escolar é um processo que precisa ser contínuo e acumulativo, além disso, a qualidade da avaliação deve prevalecer sobre a quantidade. Mas você sabe quais são os tipos de avaliação existentes e como é possível utilizá-las? Confira no artigo!


Neste conteúdo você verá:

  • para que serve uma avaliação;
  • quais são os tipos de avaliação;
  • como utilizar as avaliações diagnóstica, formativa e somativa.

Para que serve uma avaliação?

Em um modelo ultrapassado, a avaliação servia apenas como um instrumento para julgar e rotular os alunos. Ou seja, era utilizada para separar os “bons” alunos, que alcançavam boas notas, dos “maus” alunos, que não conseguiam um bom desempenho.


Atualmente, ao contrário do modelo anterior, existe uma visão quase consensual entre os educadores de que a avaliação deve ser  utilizada para se fazer  uma análise do conhecimento individual do aluno e da escola como um todo. Com ela, é possível obter dados com o objetivo de melhorar os rumos do sistema de ensino.


Mas, para isso, é importante observar que existem três tipos de avaliação. Confira a seguir:

 Quais são os tipos de avaliação?

Os principais tipos de avaliação que existem são: diagnóstica, formativa e somativa, que diferem entre si principalmente pela finalidade com que os resultados são utilizados. Compreender os tipos de avaliações e os usos de seus resultados é essencial para uma análise do aprendizado dos alunos, suas dificuldades e evolução. 


Confira cada uma das avaliações e como podem  ser utilizadas:

Avaliação diagnóstica

Diagnosticar o conhecimento do aluno é o primeiro passo e deve ser levado em consideração em qualquer instituição. 


A avaliação diagnóstica deve ser realizada sempre no início de um processo para obter os dados e informações necessários na construção do planejamento de ensino. Já sua aplicação ao longo do ano tem como principal objetivo ser uma forma de monitoramento de aprendizagem.


Porém, é preciso ter em mente que a qualidade de uma análise depende diretamente da qualidade dos dados disponíveis. Os simulados Evolucional, por exemplo, geram uma grande quantidade de dados, alinhados aos parâmetros oficiais de avaliações como Enem e Saeb, e que permitem a tomada de decisões embasadas em diversos indicadores de aprendizagem.


Na plataforma Evolucional é possível acompanhar os indicadores de pontos fortes e pontos a melhorar. Para isso, é realizado um levantamento dos pontos nos quais os alunos tiveram maior destaque e daqueles onde encontraram maior dificuldade.


Com esses dados em mãos, é possível tomar uma série de atitudes que têm como objetivo obter uma melhor qualidade de ensino, como:

  • oferecer plantões e monitorias sobre os pontos de dificuldade;
  • oferecer acompanhamento personalizado específico a determinados alunos;
  • auxiliar em quais matérias eles devem se dedicar mais aos estudos e, com isso, otimizar o tempo;
  • ajustar e realinhar o conteúdo previsto no planejamento.

Avaliação formativa

A avaliação formativa se relaciona de certa forma com a avaliação diagnóstica, já que ambas visam à promoção da aprendizagem. 


Este tipo de avaliação  pode ser feito de maneira informal, durante as aulas, por meio de debates e questionamentos aos alunos durante as explicações, a fim de entender se a forma que o conteúdo está sendo aplicado está sendo absorvido pelos alunos. É importante que os educadores desenvolvam maneiras de registrar os resultados dessa avaliação.


As avaliações tradicionais são mais voltadas à reprodução do conteúdo aprendido. Já a avaliação formativa promove  abertura  para que os alunos deem feedbacks sobre as aulas e atribui a eles um maior protagonismo sobre seu processo de aprendizagem. 

Avaliação somativa

A avaliação somativa faz parte da realidade de grande parte das escolas brasileiras e corresponde às provas bimestrais, semestrais ou anuais.

O objetivo dessa avaliação é informar e verificar o aprendizado dos alunos, da turma e da escola como um todo ao final de um processo de aprendizagem. Ela visa oferecer um parecer sobre as habilidades e aprendizados desenvolvidos.

Este tipo de avaliação não deve servir apenas para classificar os alunos, mas sim para proporcionar reflexões e oferecer dados para um direcionamento às ações pedagógicas e administrativas, a fim de obter uma maior e melhor qualidade na educação.

Como utilizar a avaliação diagnóstica, formativa e somativa

Tais avaliações devem ser combinadas e são complementares umas às outras, beneficiando todos os envolvidos no processo de educação.

As avaliações diagnósticas devem ser usadas no início do processo de aprendizagem, para que os alunos e professores tenham os dados necessários sobre a situação atual do ensino e, dessa forma, possam direcionar melhor o processo de aprendizagem.

Já as avaliações formativas devem ser intrínsecas e constantes durante o processo de aprendizagem, para entender se os métodos aplicados estão sendo eficientes e realmente absorvidos pelos alunos.

Por fim, as avaliações somativas podem oferecer um panorama geral sobre o processo de aprendizagem, com objetivo de obter as informações necessárias sobre as habilidades e aprendizados desenvolvidos ao final de um processo de ensino.

Gostou de saber quais são os tipos de avaliação? Leia também sobre as diferença entre gestão pedagógica e gestão escolar!

Post Anterior

Dicas Para Manter Uma Rotina De Estudos

Próximo Post

Como a TRI pode auxiliar os alunos no Enem

Você pode gostar também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *